26
01-2018

Sensor curvo, vem aí uma revolução

Nas primeiras experiências, feitas pela Microsoft, o sensor atual foi prensado em um molde de forma pneumática e os resultados foram animadores para os cientistas

Nas primeiras experiências, feitas pela Microsoft, o sensor atual foi prensado em um molde de forma pneumática e os resultados foram animadores para os cientistas

Há uma grande revolução em andamento e que pode mudar de vez as câmeras digitais. Trata-se do sensor curvo, que vem sendo pesquisado há tempos e está próximo de ser adotado por alguns fabricantes. As câmeras atuais têm sensor plano, mas as lentes que projetam a imagem no sensor não são planas. Por isso, é necessário corrigir certos defeitos, como a distorção de campo (quando uma linha reta aparece curva), a aberração cromática (principalmente em áreas de grande contraste) e o astigmatismo (imagens borradas). Para isso, elementos adicionais são incluídos nos sistemas óptico das objetivas. Com o sensor curvo, isso muda radicalmente.

A produção de um sensor curvo deve permitir a criação de conjuntos ópticos mais simples: os raios de luz que entram em ângulos oblíquos deixarão de ser corrigidos. Isso representa, na prática, que devem surgir lentes mais leves, melhores, mais baratas e mais fáceis de serem fabricadas. A Sony é uma das empresas à frente dessas pesquisas. O sensor com uma curvatura semelhante ao do olho humano promete uma sensibilidade à luz 40% maior no centro e 100% maior nas bordas, segundo a empresa. Com isso, diminui o nível de ruído em ambientes mais escuros. O escurecimento nos cantos da foto, a vinheta, também deixaria de existir com o sensor curvo.

Segundo a tese dos desenvolvedores, o sensor curvo possibilitaria conjuntos ópticos mais simples, mais luminosos e com mais definição da imagem

Segundo a tese dos desenvolvedores, o sensor curvo possibilitaria conjuntos ópticos mais simples, mais luminosos e com mais definição da imagem

No Japão, a Nikon já fez o requerimento da patente de uma lente feita especialmente para sensor curvo. Isso faz sentido porque a Sony é a fornecedora de sensores para a Nikon. Especula-se que uma nova série de câmeras mirrorless da Nikon viria com a tecnologia do sensor curvo. Da parte da Sony, pouco se sabe sobre as pesquisas da empresa no setor.

No Japão, a Nikon fez um requerimento de patente para uma lente feita especialmente para sensor curvo; como a Nikon usa sensores da Sony, esta empresa também estaria desenvolvendo a nova tecnologia

No Japão, a Nikon fez um requerimento de patente para uma lente feita especialmente para sensor curvo; como a Nikon usa sensores da Sony, esta empresa também estaria desenvolvendo a nova tecnologia

Curvado à força
A Microsoft é outra grande empresa que vem desenvolvendo pesquisas de sensor curvo. “Nossa tentativa ao curvar sensores disponíveis comercialmente pode tornar possível uma nova classe de pequenas câmeras com a qualidade de imagem igual ao de muitas câmeras maiores”, alega Brian Guenter, líder da equipe de pesquisa. Os pesquisadores dizem que desenvolveram um processo para criar sensores com uma curvatura três vezes mais esférica do que já havia sido obtida. “Apesar de conhecermos os benefícios do uso do sensor curvo há algum tempo, nosso trabalho tornou possível criar câmeras com esse sensor”, diz Richard Stoakley, membro da equipe.

A ideia central do sensor curvo está na própria curvatura do olho humano e esse formato permitiria evitar problemas apresentados pelas lentes, como distorção de campo, aberração cromática e astigmatismo

A ideia central do sensor curvo está na própria curvatura do olho humano e esse formato permitiria evitar problemas apresentados pelas lentes, como distorção de campo, aberração cromática e astigmatismo

A criação do sensor curvo pela Microsoft surgiu de um questionamento dos pesquisadores há cerca de sete anos: como seria uma câmera ideal? Essa câmera deveria captar imagens em condições de muito pouca luz, seria bem pequena e produziria fotos de extrema nitidez. A equipe desenvolveu uma técnica para criar o sensor curvo pressionando tridimensionalmente um sensor-padrão já pronto, experiência simples que deu certo: pegaram um sensor CMOS e colocaram em um molde. Com pressão pneumática, empurraram o sensor dentro do molde e o tornaram curvo.

Os testes comprovaram que curvar o sensor não alterou nenhuma das suas características elétricas ou de imagem. Usado em uma câmera protótipo com uma lente de abertura máxima f/1.2, o sensor curvo mostrou uma resolução com mais de que o dobro de uma câmera DLR profissional com lente similar. Próximo às extremidades da imagem o sensor curvo teve cerca de cinco vezes mais definição do que o da câmera DSLR. Ou seja, a nova tecnologia deve mudar muito o mercado futuramente.

1

 likes / One comment
Compartilhe:
  • Edvaldo Vasconcelos

    Fantástico. Quando surgirem as primeiras, custarão uma fortuna. Depois de uns três anos começa a baixar o preço. Aí quem sabe….