22
11-2016

Projeto em vilas ribeirinhas do Pará vira livro

  • Varal de imagens feitas pelo alunos
  • Crianças durante o curso de fotografia no barco escola
  • População ribeirinha teve acesso a curso de fotografia

Um barco boiadeiro reformado, aulas de fotografia e um passeio pela própria cidade. Essa é a proposta do Cururuar Fluvilab, iniciado em abril de 2016, na cidade de Chaves, na contracosta da Ilha do Marajó (PA). O projeto levou aulas de fotografia para vilas ribeirinhas da cidade, tão distantes umas das outras que muitos dos participantes não conheciam a própria vizinhança.

A densidade demográfica de Chaves é de 1,62 habitante/km², e o projeto passou pelas vilas Boa Esperança, São Joaquim, São Benedito e Nedi Barbosa. Pelo rio Cururu, que corta a cidade, foram apresentadas oficinas de fotografia no porão de um barco boiadeiro, reformado em São Paulo. A idealizadora do projeto, a paraense Betânia Barbosa, desenvolve o seu trabalho artístico na Ilha do Marajó desde 2011, e há quatro anos planeja o Cururuar. Completam o time os paulistas Marina Rago, Tatiana Nolla e Tunico Ferreira.

As imagens feitas pelos participantes e membros do Cururuar Fluvilab foram reunidas em um livro, lançado em 19 de novembro de 2016, na capital paulista. O livro é de distribuição gratuita e em breve estará disponível na internet. Para saber mais, acesse: www.cururuar.org.

0

 likes / 0 Comments
Compartilhe: