23
06-2017

Destruição causada por queda da barragem é tema de mostra no IMS

  • Aérea da região da Barragem do Fundão, que fica a 35 km do centro de Mariana. Foto: Pedro Mascaro
  • Casa destruída pela lama depois da queda da barragem da Samarco em Bento Rodrigues. Foto: Cristiano Mascaro
  • Os dejetos trazidos pela correnteza de lama tomaram as casas. Foto: Pedro Mascaro
  • Pai e filho percorreram os 650 km atingidos pela lama para traçar o abandono forçado das cidades atingidas. Foto: Cristiano Mascaro

O rompimento da barragem de rejeitos de minério da empresa Samarco no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), no dia 3 de novembro de 2015, é um dos maiores desastres ambientais brasileiros. Sete meses depois, o fotógrafo Cristiano Mascaro e seu filho Pedro percorreram os mais de 650 km varridos pela lama, registrando as casas e vidas deixadas para trás. O resultado é a exposição Mariana: da lama ao mar, que traz 64 imagens ao Instituto Moreira Salles (IMS) de Poços de Caldas (MG).

A viagem seguiu até a foz do Rio Doce, em Regência (ES). No caminho do traçado do rio, marcas alaranjadas nas paredes que resistiram lembram a destruição – existem regiões inteiras evacuadas e abandonadas. As imagens aéreas, produzidas por Pedro, oferecem um panorama dos prejuízos da contaminação.
Cristiano Mascaro é paulistano e fotografa desde os anos 1970. É reconhecido pelo extenso trabalho de registro do patrimônio arquitetônico de grandes cidades, além de fazer parte de acervos como o da Pinacoteca, em São Paulo, e da Biblioteca Nacional de Paris. Pedro Mascaro deixou a carreira de engenheiro para seguir os passos do pai na fotografia, especializando-se nos registros aéreos.

Serviço
Data: até 15 de outubro de 2017
Local: Instituto Moreira Salles, Rua Teresópolis, 90 – Jardim dos Estados, Poços de Caldas (MG)
Informações: (35) 3722-2776
Site oficial

0

 likes / 0 Comments
Compartilhe: