21
02-2018

Fuji lança a X-H1, câmera de desempenho mais alto da série X

Foto 1_Fuji 1

A Fujifilm anunciou o lançamento da mirrorless X-H1, câmera com sensor APS-C X Trans de 24 megapixels herdado do modelo X-T2, mas com a adição de sistema de estabilização de imagem ao corpo (de 5 eixos) bem como um conjunto mais abrangente de opções de vídeo. Visualmente, a X-H1 parece um X-T2 maior, mas com o LCD do painel superior no estilo da GFX 50S. A Fuji também ponderou críticas à série XT e na X-H1 fez com que os botões de controle fossem bem maiores, particularmente os de AF-On AE-L e os recém-adicionados.

O visor eletrônico de 3 polegadas é OLED, com 1,04 milhão de pontos. O monitor traseiro é sensível ao toque, com inclinação de dois eixos. O slot duplo de cartões é compatível com o formato SD UHS-II. Há ainda Wi-Fi com Bluetooth para conexão constante. A empresa informa que fez mais melhorias no sistema AF e promete um desempenho de vídeo significativamente melhorado, com o alcance das opções de estendidas para incluir o DCI bem como o UHD 4K, com bitrates até 200 Mbps e capacidade de registrar internamente o F-Log das filmagens. Outras adições incluem o estilo de simulação de película cinematográfica e uma opção anti-cintilação para captar imagens sob luzes artificiais (como iluminação fluorescente ou mercúrio).

O modelo X-H1 chega ao mercado como o mais avançado da consagrada série X da Fuji

O modelo X-H1 chega ao mercado como o mais avançado da consagrada série X da Fuji

Estabilização

O sistema de estabilização da X-H1, segundo a Fuji, se baseia em três acelerômetros axiais, três sensores Gyro axiais e um processador e duplo especialmente desenvolvido para atingir cerca de 10 mil cálculos por segundo. A estabilização de imagens em cinco eixos é possível com lentes das séries XF e XC. Além disso, um novo mecanismo de mola foi adicionado para reduzir micro vibrações causadas pela operação do obturador.

E além da estabilização no corpo, o X-H1 vem com um novo e mais silencioso mecanismo de obturação – que também permite que a câmera ofereça o modo de obturador eletrônico de primeira cortina (EFC). Várias combinações de EFC, obturador mecânico e totalmente eletrônico estão disponíveis para permitir o uso de cada modo para as velocidades em que o obturador oferece mais vantagem.

Uma nas inovações é o painel LDC superior, igual ao da câmera de médio formato GFX 50S

Uma nas inovações é o painel LDC superior, igual ao da câmera de médio formato GFX 50S

Do ponto de vista de construção, a X-H1 é robusta, com corpo em liga de magnésio (25% a mais que a X-T2) resistente à poeira e à água. O visor eletrônico tem taxa de ampliação de 0,75x e resolução de 3,69 milhões de pontos. O atraso no tempo de exibição é de apenas 0,005 segundos e a imagem é vista a 100 quadros por segundo, permitindo que o fotógrafo possa ver o tema instantaneamente e fazer com o foco com precisão. Aliás, a Fuji informa que a nova câmera teve melhorias no algoritmo de foco automático para aumentar a precisão em ambientes de pouca luz.

Outra novidade na X-H1 é o modo Dynamic Range Priority (prioridade de alcance dinâmico). Para isso, usa os modos DR existentes em combinação com a capacidade da câmera para ajustar os aspectos de luz e sombra de suas curvas de tom. Existem quatro configurações: fraco, forte, automático e desligado. A sensibilidade ISO padrão vai de 200 a 12.800, mas pode ser ampliada de 100 a 51.200. Com o obturador eletrônico, a capacidade de disparos chega a 14 imagens por segundo (ims) e com o mecânico, a 8 ims.

A X-H1 tem um sensor APS-C X Trans de 24 megapixels e sistema de estabilização de 5 eixos

A X-H1 tem um sensor APS-C X Trans de 24 megapixels e sistema de estabilização de 5 eixos

Para vídeo

O modelo X-T2 já é uma câmera para vídeo de qualidade, oferecendo bons níveis de captura de detalhes e saída de log em HDMI, se necessário. A X-H1 dá um passo adiante. Além de ser capaz de filmar UHD 4K em até 30p, também pode gravar o formato DCI 4K em 23.98 e 24p. Como o X-T2, o X-H1 usa uma região de 1,17x de seu sensor para capturar vídeos UHD e DCI 4K. Isso significa usar aproximadamente 1,4x mais pixels do que o necessário, em cada dimensão, para produzir a filmagem. Isso, segundo a Fuji, leva a maiores níveis de captura de detalhes.

Ela herdou vários recursos da XT-2, porém é maior que o outro modelo e mais avançada

Ela herdou vários recursos da XT-2, porém é maior que o outro modelo e mais avançada

O modo de simulação de filme cinematográfico, batizado de Eterna, trabalha com cores discretas e tons de sombra mais ricos, o que dá margem à liberdade criativa na pós-produção. Ela a X-H1 oferece modos de vídeo de alta velocidade (1.080/120p) para usar o recurso de câmera lenta – no modo lento, trabalha com taxas de 1/2, 1/5 e 1/5. Fora isso, conta com um microfone interno de alta qualidade de som, segundo a Fuji (24bit/48 kHz).

O monitor OLED de 3 polegadas é sensível ao toque e tem inclinação em dois eixos

O monitor OLED de 3 polegadas é sensível ao toque e tem inclinação em dois eixos

Ao que parece, o aumento de tamanho da câmera se relaciona com a adição da unidade de estabilização, mas o gerenciamento térmico também foi melhorado, permitindo que a câmera filme em 4K por 15 minutos, em vez de os 10 minutos da X-T2. Além disso, ela pode reter uma série de configurações separadas para fotos e vídeos. Isso significa que você não precisa reconfigurar significativamente a câmera toda vez que muda de imagens fixas para gravação de vídeo (ou vice-versa).

As funções de vídeo estão mais avançadas na X-H1, que grava em 4K e tem a inovadora função F-log

As funções de vídeo estão mais avançadas na X-H1, que grava em 4K e tem a inovadora função F-log

Obviamente, as configurações de exposição não podem ser definidas de forma independente para imagens fixas e filmagens. Mas para quem planeja ficar trocando entre imagens fixas e filmagens, o novo modo Movie Silent Control da câmera é um meio de facilitar isso. Ele desabilita o anel de abertura, os disco de velocidade do obturador e o seletor ISO, passando o controle para a tela sensível ao toque ou o botão joystick. Isso significa que as configurações de vídeo podem ser mantidas, já que os controles dedicados não têm mais nenhum efeito no modo de vídeo.

A novidade da Fuji estará disponível a partir de março apenas no exterior (já que a Fuji do Brasil não está mais importando câmeras da série X) com preço de US$ 1.899 (só o corpo).

No modo Movie Silent Crontol, todos os ajustes da câmera passam a ser controlados pelo monitor touchscreen

No modo Movie Silent Crontol, todos os ajustes da câmera passam a ser controlados pelo monitor touchscreen

0

 likes / One comment
Compartilhe:
  • Edson Silva

    Show !!! Lembra muito o desenho das lendárias câmeras de 35mm